Abertura da FLIP 2018

Quem veio a Paraty para a FLIP 2018 percebeu que ela mudou bastante. A experiência de quem vem para curtir o evento é totalmente diferente daquela de 10 anos atrás.

A grandiosidade de outros anos teve que se adequar aos tempos de crise. A falta do show de abertura, que em outras edições apresentou grandes nomes da música brasileira, é muito sentida pelo público. Agora as mesas principais tiveram que se adaptar a um auditório muito menor, e consequentemente ficou mais difícil adquirir um ingresso para assistir ao vivo aos principais convidados, embora a Tenda da Matriz permita assistir tudo pelo telão gratuitamente.

Mas em compensação o evento cresceu muito ao redor, com a participação de um grande número de casas que oferecem uma programação independente totalmente gratuita. Relacionamos 29 casas e mais de 600 eventos.

A procura a estas casas cresceu demais, algumas delas formando enormes filas de até 2 horas de espera. Mas o número destas casas cresceu de tal forma que havia muitas opções de programação para todos os horários. Se uma casa estava lotada, bastava consultar a programação na página do nosso site ( www.paraty.com.br/flip ) onde era possível encontrar rapidamente outra atração disponível. Era o único site onde era possível encontrar a programação completa, com todas (ou quase todas) as atrações.

Alguns autores e intelectuais consagrados se apresentaram em locais pequenos e muito concorridos. Mas havia muita oportunidade para novos autores apresentarem seus trabalhos.

Até o eclipse total da lua virou uma atração à parte. Listada também em nossa programação, ela levou centenas de pessoas à ponte do Centro Histórico para apreciar o fenômeno.

Mas nem tudo são flores. As crianças, que em edições anteriores recebiam um tratamento especial, desta vez não tiveram um espaço tão privilegiado e sua programação foi bastante reduzida. Em outros tempos a praça ficava divertidamente decorada e as crianças lotavam este espaço. Agora, fora do período escolar e com uma programação menor, os pequenos quase não eram vistos. Também a FlipZona, voltada para os adolescentes encolheu bastante. É uma pena.

Certamente a FLIP ficou mais democrática, com espaço aberto para todos. Alguns locais voltados principalmente à manifestação política tiveram grande presença de público.

Grande parte do comércio de Paraty tem muitos motivos para comemorar. A cidade estava lotada, principalmente na sexta-feira e no sábado, dias com maior frequência de turistas e visitantes da festa. Os restaurantes trabalharam ininterruptamente, e em alguns horários era impossível encontrar uma mesa disponível.

Como sempre, durante a FLIP a cidade recebe um público muito grande, agradável, bonito, educado, culto, que aprecia demais tudo o que somente Paraty pode oferecer.

Veja algumas fotos:

Deixe um comentário




*