Existem no mundo 79 espécies de cetáceos descritas. No Brasil este número vai para 39. Na Baía da Ilha Grande, região de grande beleza, águas calmas e abrigadas, foram registradas 13 diferentes espécies de baleias, botos e golfinhos.

Golfinhos em Paraty. Golfinho-comum. Como proceder quando vir um golfinho se aproximando

 

Muitos turistas que estão passeando de barco pela região conseguem ver golfinhos cruzando as águas do oceano. Sensacional!

É uma sensação indescritível!

Mas o que se deve fazer quando avistamos os golfinhos?

São 3 situações que podem acontecer – não são tão comuns, mas não custa prevenir…

Se algum golfinho se aproxima de sua embarcação:

  1. 1. Manter constante a velocidade do barco, sem realizar mudanças súbitas de direção.
  2. 2. Não lançar objetos na água ( lixo, iscas artificiais, brinquedos, etc), nem tentar alimentar os animais jogando-lhes peixes, lulas ou qualquer outro tipo de comida: seria inútil e poderia molestá-los
  3. 3. Nunca tentar separar um grupo, nem posicionar-se entre os animais (principalmente no caso de fêmea e filhote).
  4. 4. Evitar fazer qualquer tipo de barulho.

Golfinhos em Paraty. Como proceder quando vir um golfinho se aproximando

Se algum golfinho se aproximar enquanto você estiver nadando:

  1. 5. Não tente perseguir os animais nem atire qualquer objeto em sua direção
  2. 6. Se por acaso algum golfinho aproximar-se de você, não tenha medo, ele provavelmente só veio “dar uma olhada” mais de perto e não vai atacá-lo.
  3. 7. Se o animal se mantiver por perto, você pode brincar imitando seus movimentos (os golfinhos adoram essa brincadeira).
  4. 8. Mesmo que você se sinta tentado a tocá-lo, mantenha os braços às costas: o mero movimento do braço pode parecer agressivo ao golfinho.

Golfinhos em Paraty. Golfinho-fliper. Como proceder quando vir um golfinho se aproximando

E se um golfinho encalhar?

  1. 9. A primeira atitude a tomar quando encontrar cetáceos encalhados, estejam vivos ou mortos, é avisar os pesquisadores, procurando imediatamente a instituição local envolvida com a conservação de cetáceos.
  2. 10. Tentar empurrar um cetáceo de volta para a água é inútil e arriscado. Amarrar ou puxar o animal pela cauda ou pelas nadadeiras poderia matá-lo ou machucá-lo.
  3. 11. Manter o corpo do animal úmido, jogando água do mar ou aplicando toalhas de cor clara molhadas, sempre tendo o cuidado de não jogar água ou tapar o orifício respiratório e os olhos.
  4. 12. Controlar o barulho e o tumulto perto do animal. Evitar o uso de flashes ou luzes diretamente sobre os olhos.

 

E para descontrair, assista um videozinho que fizemos com as imagens enviadas por um de nossos amigos.

 

Para saber mais sobre golfinhos e baleias em Paraty, acesse: http://www.paraty.com.br/golfinhos/index.asp

Analista de SEO é minha profissão. Motociclista por opção... Você também vai encontrar meus textos nos seguintes blogs: www.pwi.com.br (textos sobre divulgação de sites e sistemas desenvolvidos na PWI) www.andarilhar.com (textos sobre viagens de moto e turismo sustentável)

Deixe um comentário




*