• Existem no mundo 79 espécies de cetáceos descritas. No Brasil este número vai para 39. Na Baía da Ilha Grande, região de grande beleza, águas calmas e abrigadas, foram registradas 13 diferentes espécies de baleias, botos e golfinhos.

    Golfinhos em Paraty. Golfinho-comum. Como proceder quando vir um golfinho se aproximando

     

    Muitos turistas que estão passeando de barco pela região conseguem ver golfinhos cruzando as águas do oceano. Sensacional!

    É uma sensação indescritível!

    Mas o que se deve fazer quando avistamos os golfinhos?

    São 3 situações que podem acontecer – não são tão comuns, mas não custa prevenir…

    (mais…)

  • Wladimir Santander, Secretário de Turismo de Paraty
    Wladimir Santander, Secretário de Turismo de Paraty

    Por Claudia Ferraz.

    Nossos agradecimentos ao Restaurante Caminho do Ouro, que gentilmente nos cedeu o espaço para esta entrevista.
    Fotos: Ricardo Gaspar


    Com uma história pessoal ligada à área do turismo, o secretário municipal Wladimir Santander fala aqui, em entrevista exclusiva, no dia 17/12/2014, dos avanços e dos desafios de orquestrar a vocação maior da bela Paraty – cidade que parece ter nascido turística por natureza.

    (mais…)

  • Imagem de trecho de terra da Serra que liga Paraty a Cunha, tirada no ano de 2000, quando a estrada, apesar de estreita, ainda apresentava condições de tráfego
  • Você está de saída para Paraty e está confiante com relação ao caminho, pois possui um aparelho de GPS?

    Então preste bastante atenção a este aviso: Escolha o melhor caminho para Paraty antes de iniciar a viagem!

    Não confie no aparelho de GPS. Alguns destes aparelhos estão orientando os motoristas a seguirem pela rodovia que liga Guaratinguetá a Paraty, porém esta estrada encontra-se em estado muito precário, intransitável para automóveis comuns no trecho de serra, também conhecido como Paraty-Cunha.

    Placa que indica início do trecho intransitável da serra de Paraty-Cunha, de terra,
    Placa indicativa de trecho intransitável – Originalmente publicada em www.diariodovale.uol.com.br

    Este trecho, de cerca de 10 km, ainda não foi asfaltado e foi duramente atingido por uma tromba d’água ocorrida no início de 2010. Várias encostas desmoronaram e grandes pedras ficaram no leito da estrada tornando a viagem muito perigosa – Especialmente no período noturno ou sob neblina. Recebi relatos de viajantes incautos que inadvertidamente foram levados a este caminho e demoraram até 5 horas para percorrer este trecho de 10km!

    Além disto, não há um aviso adequado alertando os motoristas sobre o perigo à frente!

    Se você possui Jeep ou veículo 4×4 e muito espírito de aventura pode até optar por este caminho, (mais…)

  • TRINDADE

    30/12 (sexta-feira)
    21h00 – DJ
    22h00 – Elson e Davi da Trindade

    31/12 (sábado)
    21h00 – DJ
    22h00 – Show com a banda Os Fanfarrões

    01/01/2012 (domingo)
    21h00 – DJ
    22h00 – Show com a banda The Haoles
    TARITUBA

    30/12 (sexta-feira)
    21h00 – DJ
    22h00 – Show com a banda Swing Nagô

    31/12 (sábado)
    21h00 – DJ
    22h00 – Show com a banda Chama Maré

    01/01/2012 (domingo)
    21h00 – DJ
    22h00 – Show com a banda Velha Guarda de Paraty
    PRAÇA DA PAZ (ILHA DAS COBRAS)
    EVANGÉLICO

    30/12 (sexta-feira)
    21h00 – Show com a banda Nova Luz
    22h30 – Ministério Apostólico
    00h00 – Show com a banda Cetrus

  • O Museu do Forte Defensor Perpétuo de Paraty exibe a partir desta sexta-feira, 7 de janeiro, uma série de fotografias produzidas nas décadas de 70 e 80 na comunidade de Trindade.
    As imagens, pertencentes ao acervo da Secretaria Municipal de Cultura de Paraty, foram produzidas pelos fotógrafos Araquém Alcântara, Adriana Mattoso, Sidney Corallo, Fausto Pires de Campos e Silvano Pires de Campos. Elas registram o modo de vida da comunidade caiçara, a resistência política pela posse de sua terra ao longo da década de 70 e as conseqüências desse confronto no modo de vida daquelas pessoas.
    A exposição, que tem o apoio da Associação dos Moradores de Trindade e do Instituto Histórico e Artístico de Paraty, conta também com objetos tradicionais caiçaras, e vai até 20 de fevereiro de 2011.
    O museu fica aberto de quarta a domingo, de 9h às 12h e de 14h às 17h. Os ingressos custam R$ 2,00. Estudantes da rede pública, crianças até 5 anos, maiores de 60 anos, moradores de Paraty não pagam. Às quartas-feiras, a entrada é franca.
    O Museu do Forte Defensor Perpétuo fica no Morro da Vila Velha, s/nº, em Paraty-RJ. Informações: (24) 3373-1038.